sábado, 19 de julho de 2008

Guia de utilidade pública – como reconhecer uma Chanel 2.55!

ESSE POST É EXTRAÍDO DO BLOG IT GIRLS

Veja aqui:

Hoje ou há 50 anos, nada pode completar melhor uma it girl do que uma bolsa Chanel 2.55. O famosérrimo modelo, lançado em fevereiro de 1955, é um dos símbolos preferidos das meninas que sabem das coisas… Pois onde você vai comprar a sua? As reedições - em diferentes tamanhos e cores - estão disponíveis nos espaços da marca espalhados pelo mundo. Não é uma delícia entrar na loja da rue Cambon e de lá só sair com sua bolsa novinha, novinha?
Mais eis que você optou por uma versão vintage – porque garimpar em bons brechós pode ser uma das atividades mais divertidas do planeta para uma it girl.
Agora, muita atenção: se dessa maneira você pode ganhar diversão e uns bons euros (afinal brechós são mais baratos do que lojas, certo?), pode adquirir também uma tremenda dor de cabeça. Qual? Pense na possibilidade de esvaziar seu cofrinho e descobrir que voltou pra casa com um modelo (argh!) fake.
Para evitar este pesadelo dos pesadelos, é bom ter, antes de qualquer coisa, bom senso. Evite brechós completamente desconhecidos – pesquisar com experts e moradores locais ajuda muito na hora de diferenciar locais confiáveis de locais suspeitos. Também não imagine que é seu dia de sorte e que por isso você conseguiu uma bolsa por um décimo do preço normal – Papai Noel não existe, lembra?
Especialistas na arte de garimpar dizem que brechós vendem por cerca de 25% do preço cheio da loja oficial. Uma Chanel 2.55 nova (em Paris) custa em torno de 1.500, 2.000 euros. Do the Math! Respeitando esses dois fatores básicos, é hora de ficar atenta a mais alguns detalhes: * Todas as bolsas Chanel são acompanhadas de um cartão com um número de série que é também gravado dentro da bolsa. É um certificado de autenticidade – modelos vintage podem não ter mais seus cartões, mas o número gravado internamente é imprescindível! * Os detalhes da bolsa (fechos, corrente da alça etc) devem combinar exatamente com o tom metálico da gravação da palavra Chanel no couro interno. Fique de olho! * As costuras do efeito matelassê devem ter absoluta simetria entre a parte da frente e a parte de trás da bolsa (ou seja, os dois lados devem “casar” direitinho). * Em um autêntico logo Chanel (com os Cs cruzados), a parte superior do C direito cobre exatamente a parte superior do C esquerdo. O mesmo acontece com as partes inferiores.
Observação importante - Com frequência, o modelo Classic Flap é confundido com o 2.55. Os dois são muito parecidos em formato, a maior diferença fica por conta do fecho: enquanto as versões original e releitura da 2.55 têm o fecho retangular, a Classic Flap tem o famoso logo. Veja abaixo as fotos das duas e leia aqui (em inglês) a definição completa da diferença.

Fechos Chanel 2.55 e Chanel Classic Flap: pequenos detalhes

Nenhum comentário: